De olho na lancheira

A hora de se arrumar para ir para escola sempre conta com banho tomado, farda limpinha e livros e cadernos na bolsa. A lancheira é sempre preenchida com uma comidinha deliciosa que vai encher barriguinhas famintas na hora do recreio. Porém, esse momento precisa de atenção redobrada: os alimentos consumidos pelos pequenos podem fazer toda a diferença na saúde deles.

De acordo com a nutricionista do Hospital Memorial Jaboatão, Tânia Pereira, os alimentos naturais devem ser priorizados. “Frutas e sucos são ótimas opções. Crianças normalmente gostam muito de melancia e de banana”, destaca. Alimentos cítricos perdem mais nutrientes ao serem armazenados. “Nesses casos, o uso de espremedores evitam o sabor amargo e deixam a bebida mais agradável para o paladar dos pequenos”, afirma a nutricionista.

A utilização da polpa de frutas para fazer os sucos ajuda na praticidade por não exigir reposição constante. “Colocar a bebida em uma garrafinha térmica ajuda a manter a temperatura e a deixá-la agradável para o consumo”, ressalta Tânia.

Fontes de proteínas também são bem-vindas no lanche. “Pode ser uma fatia de queijo branco ou um pote de iogurte, de preferência natural. Para deixar o sabor mais agradável ao paladar infantil, pode ser acrescentado pedacinhos ou polpa de frutas”, ressalta a nutricionista. Para completar a refeição, falta apenas uma fonte de carboidrato. “É importante optar pelos integrais. Pode ser pão ou biscoito, por exemplo”, explica. Outra opção para incrementar o lanche da criançada é uma fatia de bolo branco feito em casa.

Sem pacotes ou caixinhas – Além de possuírem muitas calorias, os industrializados não são recomendados por terem baixa quantidade de nutrientes. “Salgadinhos, biscoito recheados e bebidas de caixinha não fazem bem para a alimentação de ninguém. O consumo em excesso desse tipo de alimento ainda pode ajudar a desencadear doenças como diabetes, pressão alta e obesidade no futuro.

Sem comentários

Deixe um comentário