Profissões do futuro: tecnologia, saúde e comunicação devem ter demanda aumentada no mercado de trabalho

No momento de escolher a profissão, nem só as afinidades com a área contam. É importante analisar o mercado e ver a oferta de possibilidades disponíveis. Alguns cursos são eleitos como mais promissores e possuem demanda crescente de profissionais capacitados.

A mestre em gestão empresarial e professora da Faculdade Senac, Carolina Ramalho, elege as áreas de tecnologia e saúde como promissoras. “São cursos que já possuem alta concorrência atualmente. Em Pernambuco, o mercado ainda é carente nessas áreas. Somos pólo médico e de tecnologia, então ainda há espaço”, destaca. A qualidade de vida deve ganhar mais atenção do mercado nos próximos anos devido ao aumento da longevidade. “Devem surgir novas profissões que ainda não sabemos quais são .Isso é um processo cíclico do mercado que acontece quando a necessidade é identificada. Há poucos anos, vimos o surgimento de cargos voltados para a administração das redes sociais, por exemplo. Com o envelhecimento da população isso também deve acontecer no setor”, ressalta.

Outra área que está em amplo crescimento é a comunicação. “Com a chegada das redes sociais, foi aberto um amplo canal de troca de informações. Hoje em dia, muita gente atua como blogueiro, youtuber ou influenciador digital e muitos jovens já querem seguir por esse caminho. Algo que ninguém imaginava existir há 15 anos, por exemplo”, explica a professora.

Independente da profissão escolhida, algumas características são bem vistas em qualquer carreira. “Bons líderes sempre serão valorizados, independente da área de atuação. Capacidade de gestão é algo que deve ser desenvolvido em todos. Habilidade de lidar com gente é uma competência essencial para o desenvolvimento de qualquer trabalho em equipe”, afirma a professora. Outro aspecto que é essencial é a disponibilidade para aprender sempre. “As coisas mudam muito rápido então estar aberto para o novo é melhor forma de não parar nunca de evoluir. Um bom profissional busca sempre atualização para conseguir sair do tradicional e pensar fora da caixa”, afirma Carolina Ramalho.

Além da faculdade – No Brasil as pessoas ainda vinculam bastante o termino do ensino médio com a entrada automática na faculdade, mas essa fórmula pode não funcionar para todos.  “Na dúvida, todo mundo faz curso superior, mas nem sempre isso é importante. O que é essencial é não parar de estudar e aprender nunca. Tem gente que se realiza em outras profissões que não possuem como pré-requisito sentar nos bancos da universidade  e tem um retorno super satisfatório. O que é importante é tomar as redás da carreira e ser protagonista”, finaliza a professora Carolina Ramalho

Sem comentários

Deixe um comentário